Igualdade – Ponte para a nova era


Título: Igualdade - Ponte para a nova era
Autor: Mariléa de Castro
Coautor: Sem coautor
Formato: 14x21cm
Páginas: 290
Categoria:
Capa: 4 cores (Laminação fosca)
Acabamento: Cola PUR
ISBN: 9786557270936
Edição:
Lançamento: Abril de 2021
Preço: R$ 40,00


Quero comprar este livro.

Sinopse: O que foi a Utopia, de Thomas Morus, no século XVI? Como eram as sociedades dos essênios, dos cátaros, dos hussitas, dos anabatistas hutteritas? Dos peles-vermelhas, dos guaranis das Missões? O que têm em comum os owenistas, os furieristas, os fabianistas, o grupo de Babeuf, assim como tantos outros?
E que conexão têm com uma sociedade avançada como aquela do planeta Marte, que nos foi noticiada por Chico Xavier e Ramatís? E com as diretrizes sociais inspiradas pelos espíritos a Kardec e Léon Denis, claramente expressas em suas obras?
Todas elas, analisadas na presente obra, têm em comum o sonho de concretizar, no modelo social de uma comunidade, aqueles princípios de igualdade real pregados por Mestre Jesus e por todos os grandes Enviados. Exatamente aqueles que vivenciaram os primeiros cristãos e que irão nortear, é inquestionável, a reconstrução do planeta na Nova Era.
Da Antiguidade à Idade Média, da Revolução Francesa à Revolução Industrial, e dela às grandes convulsões do século XX, esta obra repassa a trajetória dos grandes modelos que os idealistas de todas as épocas tentaram construir com um objetivo comum: criar um mundo melhor – com os caminhos e descaminhos próprios desta humanidade.
É também uma tentativa, inspirada do princípio ao fim pelos Maiores da Espiritualidade, de ajustar melhor o foco de visão de espíritas e espiritualistas para a compreensão de alguns conceitos e teorias político-econômicas que, à falta de analisar de perto, antagonizam a priori, esquecendo seu teor idealista. E também de recordar que “o espiritismo, doutrina da esperança, não faz o homem sonhar com uma vida melhor só para si; o espiritismo é um ideal de sociedade”. Ou, em outros termos, que a reforma do indivíduo deve conduzir à reforma da coletividade, como diz Léon Denis.


Conheça mais sobre esta obra clicando aqui.

Compartilhe:

  

Você também poderá gostar de: