Recanto de Luz

Título: Recanto de Luz
Autor: Luis Carlos Rapparini
Coautor: Eusébio
Formato: 14x21cm
Páginas: 128
Categoria:
Capa: 4 cores (Laminação fosca)
Acabamento: Costurado e Colado
ISBN: 85-7618-116-9
Edição:
Lançamento: Dezembro de 2006
Preço: R$ 40,00


Quero comprar este livro.

Sinopse: “Não pense que é preconceito, mas...”
Em realidade, era ele a grande barreira – o conceito prévio por “ouvir dizer” – que fazia hesitar Eusébio, o aprendiz do plano espiritual, diante da perspectiva de ingressar num centro de umbanda, onde seu mentor espiritual, da casa espírita, lhe recomendara estagiar.
Essa mesma barreira intangível, construída à revelia da razão e da lógica, é o que com freqüência, distancia espíritas e espiritualistas do exame desapaixonado (o livre-exame e a avaliação racional que Kardec e outros instrutores sempre preconizaram) dessa religião brasileira de tanta expressividade espiritual.
Ao conseguir finalmente vencer os dois degraus que o retinham à entrada do templo, o espírito aprendiz, Eusébio, inicia o mergulho em um universo ignorado de trabalho espiritual, em que reina a caridade desinteressada alicerçada no Evangelho, e a humildade dos pretos velhos e a simplicidade dos caboclos revestem espíritos de sabedoria milenar e alcance insuspeitado ao lidar com as energias e os corações humanos.
Cativado pelo imenso amor e pelos novos horizontes que vislumbra, Eusébio vai, de surpresa em surpresa, até a revelação final sobre o seu próprio passado reencarnatório, numa catarse profunda que lhe faltava ao espírito até então.
A essa viagem ao universo do movimento umbandista, desvendado do “lado de lá” pela visão imparcial de alguém inicialmente refratário a ele, é que esta obra se propõe conduzir o leitor, como companheiro de descobertas da grande religião brasileira, cristã e mediúnica que viceja ainda à margem do conhecimento de seus irmãos da seara da Luz.


Conheça mais sobre esta obra clicando aqui.

Compartilhe:

  

Você também poderá gostar de:

         


Era uma vez um espírita

Paz e Amor, Bicho!